quarta-feira, 11 de dezembro de 2013


O popular de nome, Manuel Lopes, procurou a imprensa nesta quarta-feira, 11 de dezembro, para denunciar que um vigia da Prefeitura de Patos estaria regando a grama da Praça da Igreja São Francisco, situada no Bairro Noé Trajano, com a água fornecida pela CAGEPA. Ele diz ter se revoltado com o fato, principalmente por saber que a vizinhança só tem água duas vezes por semana nas torneiras, enquanto que todos presenciam o desperdício do líquido precioso.
“A gente tem água duas vezes por semana, e além disso não podemos nem lavar uma calçada ou um carro, mas o guarda da prefeitura pode aguar uma grama veia, que metade já está morta de tanto os meninos pularem em cima. Se a população for lavar carros ou qualquer outra coisa é multada, agora a prefeitura pode usar a água para aguar a grama. Eu acho que isso tá errado, até porque quando ele liga a mangueira, as casas lá de cima ficam prejudicadas sem chegar água”, afirma o popular.